ga('send', 'social', 'Twitter', 'like', 'https://twitter.com/FootpathofLife'); ga('send', 'social', 'Youtube', 'like', 'https://www.youtube.com/channel/UCvM_KH22HGab73HeRmUKgxA');
top of page
Nahaufnahme von tröstenden Händen

PARA SE TORNAR ATIVO

Das Thema Suizid ist äußerst ernst und sensibel. Wenn du vermutest, dass jemand Suizidgedanken hat, ist es wichtig, dass du die Situation ernst nimmst und angemessen darauf reagierst.
 

Achten auf Deine eigene Stimmung:
Suche das Gespräch nur, wenn Du Die Energie und die Kraft hast, sehr schwierige Dinge zu hören. Nimm Dir viel Zeit: Ein solches Gespräch zu beginnen, um nach 15 Minuten wieder los zu müssen kann verheerende Folgen haben. Achte darauf, dass Du Dein Telefon ausgeschaltet hast. Jede Störung kann den aufkommenden Mut, sich zu öffnen in sich zusammenfallen lassen.


Suche einen guten Ort für dieses Gespräch: 

Suche einen Ort, an dem Ihr Euch beide wohl fühlt. Manchmal ist es im gehen leichter zu sprechen und ein Spaziergang im Wald tut der Seele gut. Es sollte ein Ort sein, wo Ihr alleine seid. Ein Ort, an dem Emotionen aufkommen dürfen und man sich nicht schämen muss. 

Hier sind einige Schritte, die Du beachten kannst, wenn du mit jemandem über Suizidgedanken sprechen möchtest:

MY VISION

Árvores de memória em uma jornada que dá a volta ao mundo. 

Árvores de memória para pessoas que não sobreviveram à depressão e ao suicídio.

Uma corrida deve encorajar os afetados. São árvores de incentivo para quem não sabe mais o que fazer.

 

Eu ando e planto para educar a sociedade que a depressão e o suicídio podem afetar qualquer um de nós.

Cada um de nós pode ajudar amigos e parentes com pouco esforço.

Não é preciso muito para salvar sua própria vida se os afetados procurarem ajuda em tempo hábil.

MY VISION

Árvores de memória em uma jornada que dá a volta ao mundo. 

Árvores de memória para pessoas que não sobreviveram à depressão e ao suicídio.

Uma corrida deve encorajar os afetados. São árvores de incentivo para quem não sabe mais o que fazer.

 

Eu ando e planto para educar a sociedade que a depressão e o suicídio podem afetar qualquer um de nós.

Cada um de nós pode ajudar amigos e parentes com pouco esforço.

Não é preciso muito para salvar sua própria vida se os afetados procurarem ajuda em tempo hábil.

MY VISION

Árvores de memória em uma jornada que dá a volta ao mundo. 

Árvores de memória para pessoas que não sobreviveram à depressão e ao suicídio.

Uma corrida deve encorajar os afetados. São árvores de incentivo para quem não sabe mais o que fazer.

 

Eu ando e planto para educar a sociedade que a depressão e o suicídio podem afetar qualquer um de nós.

Cada um de nós pode ajudar amigos e parentes com pouco esforço.

Não é preciso muito para salvar sua própria vida se os afetados procurarem ajuda em tempo hábil.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

SUICÍDIO

Em 2011, de repente, desmaiei e fui diagnosticado com depressão grave. 

Seguiram-se seis meses de terapia de internação, seguidos por sessões semanais de terapia.  

Em 2014, no dia 28 de dezembro, às nove da manhã, terminei minha vida. Meu namorado na época me encontrou. Fui ressuscitado com sucesso. 

Na Páscoa de 2016, houve uma discussão com meu namorado, que se recusou a ser tratado por sua depressão severa.
Eu fui para Berlim. 

Um dia depois, ele tirou a própria vida.

SUICÍDIO

Em 2011, de repente, desmaiei e fui diagnosticado com depressão grave. 

Seguiram-se seis meses de terapia de internação, seguidos por sessões semanais de terapia.  

Em 2014, no dia 28 de dezembro, às nove da manhã, terminei minha vida. Meu namorado na época me encontrou. Fui ressuscitado com sucesso. 

Na Páscoa de 2016, houve uma discussão com meu namorado, que se recusou a ser tratado por sua depressão severa.
Eu fui para Berlim. 

Um dia depois, ele tirou a própria vida.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

SUICÍDIO

Em 2011, de repente, desmaiei e fui diagnosticado com depressão grave. 

Seguiram-se seis meses de terapia de internação, seguidos por sessões semanais de terapia.  

Em 2014, no dia 28 de dezembro, às nove da manhã, terminei minha vida. Meu namorado na época me encontrou. Fui ressuscitado com sucesso. 

Na Páscoa de 2016, houve uma discussão com meu namorado, que se recusou a ser tratado por sua depressão severa.
Eu fui para Berlim. 

Um dia depois, ele tirou a própria vida.

SUICÍDIO

Em 2011, de repente, desmaiei e fui diagnosticado com depressão grave. 

Seguiram-se seis meses de terapia de internação, seguidos por sessões semanais de terapia.  

Em 2014, no dia 28 de dezembro, às nove da manhã, terminei minha vida. Meu namorado na época me encontrou. Fui ressuscitado com sucesso. 

Na Páscoa de 2016, houve uma discussão com meu namorado, que se recusou a ser tratado por sua depressão severa.
Eu fui para Berlim. 

Um dia depois, ele tirou a própria vida.

MY VISION

Árvores de memória em uma jornada que dá a volta ao mundo. 

Árvores de memória para pessoas que não sobreviveram à depressão e ao suicídio.

Uma corrida deve encorajar os afetados. São árvores de incentivo para quem não sabe mais o que fazer.

 

Eu ando e planto para educar a sociedade que a depressão e o suicídio podem afetar qualquer um de nós.

Cada um de nós pode ajudar amigos e parentes com pouco esforço.

Não é preciso muito para salvar sua própria vida se os afetados procurarem ajuda em tempo hábil.

MY VISION

Árvores de memória em uma jornada que dá a volta ao mundo. 

Árvores de memória para pessoas que não sobreviveram à depressão e ao suicídio.

Uma corrida deve encorajar os afetados. São árvores de incentivo para quem não sabe mais o que fazer.

 

Eu ando e planto para educar a sociedade que a depressão e o suicídio podem afetar qualquer um de nós.

Cada um de nós pode ajudar amigos e parentes com pouco esforço.

Não é preciso muito para salvar sua própria vida se os afetados procurarem ajuda em tempo hábil.

SUICÍDIO

Em 2011, de repente, desmaiei e fui diagnosticado com depressão grave. 

Seguiram-se seis meses de terapia de internação, seguidos por sessões semanais de terapia.  

Em 2014, no dia 28 de dezembro, às nove da manhã, terminei minha vida. Meu namorado na época me encontrou. Fui ressuscitado com sucesso. 

Na Páscoa de 2016, houve uma discussão com meu namorado, que se recusou a ser tratado por sua depressão severa.
Eu fui para Berlim. 

Um dia depois, ele tirou a própria vida.

PENSAMENTOS DE SUICÍDIO COM 9

Minha mãe era menor de idade quando eu nasci. Meu pai era italiano. Como resultado, ela foi levada para um mosteiro e depois forçada a se casar com um alemão.

Meu padrasto era alcoólatra, pedreiro e bebia uma caixa de cerveja no trabalho e uma garrafa de vinho em casa quase todos os dias.

Meus pais me batiam na infância. Minha mãe com o batedor de tapete, o padrasto com o punho. 

Aos 9 anos, tive pensamentos suicidas pela primeira vez após um ataque de espancamento. Eu não podia e não queria mais. I tentei me matar na pedreira.

bottom of page